06 março 2007

Plano de negócio facilita acesso ao crédito

Um círculo vicioso pode ser formado quando o assunto é crédito. Se uma micro ou pequena empresa possui problemas de cadastro, não consegue ter uma boa gestão, os negócios não deslancham e, sem perspectiva de futuro, ela terá dificuldades de acesso a crédito. É exatamente nesse círculo que o Sebrae atua, tornando-se um agente facilitador na relação entre as micro e pequenas empresas e as instituições de financiamento. “É importante destacar que o Sebrae não empresta dinheiro. Orientamos o empresário para que ele tenha uma boa gestão e consiga elaborar um plano de negócio. Também mostramos a ele as alternativas de serviços financeiros disponíveis em seu município”, explica Alessandro Chaves, técnico do Sebrae em Minas Gerais. De acordo com Chaves, o plano de negócio é uma ferramenta fundamental. “O que muitos empresários necessitam é administrar melhor o fluxo de caixa”, afirma. O Sebrae em Minas tem também orientado o empresário para que ele estabeleça uma relação mais próxima com o agente financeiro, pois para a obtenção do crédito é fundamental uma relação de confiança. Mas, se por um lado o Sebrae exerce esse papel de orientador junto aos empresários, por outro, também atua com agentes financeiros estimulando seu relacionamento com as micro e pequenas empresas. “Para o gerente de mercado do Banco do Brasil, Kleber Zica, o papel do Sebrae é “de suma importância para a criação e sobrevivência das micro e pequenas empresas”. O Sebrae apresenta às instituições financeiras uma análise de mercado e dos produtos, permitindo que muitas vezes elas criem linhas de crédito específicas. “De posse dessas informações, conseguimos visualizar não apenas o empresário, mas o segmento no qual está inserido e qual é a projeção do negócio”, diz Zica. O Sebrae também está presente no estímulo às cooperativas de crédito, que de simples fornecedoras de empréstimos passaram a integrar o rol de agentes indutores do desenvolvimento. “Hoje, as cooperativas de crédito entraram definitivamente no nosso portifólio de ofertas de serviços financeiros às micro e pequenas empresas. Minas Gerais conta com pelo menos 80 cooperativas que atendem mais de 160 municípios. Quando incluímos as cooperativas de crédito rural, esse número chega a 400”, informa Alessandro Chaves. Em 2006, o Sebrae em Minas deu início à sétima turma do curso de pós-graduação Agentes de Desenvolvimento em Cooperativas (Ópera), elaborado em parceria com o Unicentro Newton Paiva. Ao longo das 440 horas/aula do curso, os alunos são apresentados às melhores práticas de cooperativismo no Brasil e em outros países, por meio de visitas à Mondragón, na Espanha, e instituições da Itália.

Agência Sebrae de Notícias

Um comentário:

Juliana disse...

O Plano de Negócios facilita muito na hora de pedir um empréstimo ou financiamento.

Não há NEGÓCIOS sem ele, essa é a verdade!!!